segunda-feira, 25 de março de 2013

MPF investiga irregularidades em concurso suspeito de estelionato


MPF investiga irregularidades em concurso suspeito de estelionato
No site da fundação que organiza o concurso aparece o brasão da República, dando a entender que a fundação integraria o Estado brasileiro, mas não é verdade.

Um alerta para quem vai fazer concurso público. O Ministério Público Federal descobriu irregularidades em uma prova prevista para junho. Uma das irregularidades é o uso de um símbolo.

Na página da fundação que organiza o concurso, o brasão da República, dando a entender, segundo o Ministério Público, que a fundação integraria o Estado brasileiro, seria ligada ao Governo Federal, mas não é verdade. Quem se inscreveu está preocupado.

O aviso do concurso foi publicado no Diário Oficial da União no dia 21 de fevereiro. Nele, o ICEAM - Instituto Científico Educacional de Assistência aos Municípios, informa o início da seleção para o preenchimento de 432 vagas.

O valor das inscrições varia de R$ 50 a R$ 100, dependendo do cargo. A taxa tem de ser paga pela internet, com cartões de crédito, débito ou boleto bancário. Candidatos que não receberam a confirmação da inscrição fizeram denúncias ao Ministério Público Federal, questionando a legalidade do concurso.

Quando o Ministério Público começou a investigar o caso, logo encontrou uma irregularidade. No site da Fundaso - que organiza o concurso - aparece o brasão da república, sugerindo que o ICEAM seria ligado ao Governo Federal. Mas os procuradores descobriram que o ICEAM não faz parte da estrutura federal e sequer possui um site na internet.

Para o Ministério Público há suspeita de estelionato pelo uso indevido do símbolo da administração pública. Um inquérito criminal já foi aberto, a Polícia Federal foi acionada e a Procuradoria de Direito do Cidadão do Distrito Federal também vai investigar se o concurso existe ou se é uma fraude.

Gabriela Lopes Coelho pagou R$ 72 pela inscrição e tenta recuperar o dinheiro. “Entrei em contato com banco e expliquei a situação, que talvez estaríamos sendo vítimas de estelionatários, mas falaram que não tinha como cancelar e teria que entrar em contato com o estabelecimento, que no caso seria a Fundaso”, afirma

A produção do Bom Dia Brasil tentou durante todo o fim de semana entrar em contato com a Fundaso e não conseguiu. Na página da Fundaso alguns detalhes chamam a atenção: o instituto cita 27 estados na Federação, mas o correto são 26, mais o Distrito Federal. E há um outro erro, de grafia.

Fonte: Portal G1 – globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário